07 - FALUN GONG

I - A Seita que abalou o comunismo na China

Nestes últimos dias, temos visto, nos principais meios de comunicação de todo o mundo, inclusive do Brasil, muitas reportagens sobre um estranho movimento denominado Falun Gong. As matérias declaram que essa seita, de aproximadamente 100 mil seguidores, foi classificada pelo governo da China como uma organização ilegal e demoníaca. Mas, afinal, o que é a Falun Gong? Quem é o seu líder? O que ela ensina? Por que essa seita incomoda tanto o governo comunista chinês? As perguntas podem até parecer simples, mas as respostas, não.

A Falun Gong - ou Falun Dafa - (fa significa lei ou princípio; lun, roda; e gong denota energia para cultivação) surgiu em 1992, na China. Seu fundador, Li Hongzhi, que vive nos EUA, ensina uma vida regrada e a prática de exercícios de meditação e respiração todas as manhãs, cujo objetivo é expandir a consciência.

Para aqueles que seguem seu regime de exercícios e seus padrões morais, a Falun Gong é meramente um meio de atingir a boa condição física e a melhoria pessoal. Uma de suas seguidoras, Caroline Lam, declarou a um repórter: Não adoramos ninguém. Não temos nenhum ritual. Todos têm a liberdade de entrar e sair, e não temos uma -organização propriamente dita. Para Lam e os demais membros da seita que se reúnem periodicamente para a prática dos cinco -exercícios receitados (nos quais estão incluídos os movimentos lentos e controlados e as técnicas de respiração), o motivo de seguirem o Falun Gong é o alívio da tensão e os benefícios à saúde que alcançam.

Li Hongzhi disse: Somos membros comuns da sociedade... Só que nos levantamos cedo para realizar os nossos exercícios. Somos um movimento em massa popular para a realização de exercícios. Não obstante, seria um engano definir a Falun Gong como um simples culto à saúde e à boa forma. A filosofia por trás de seus exercícios e código moral tem um significado mais profundo. Supostamente arraigada nas doutrinas budistas e taoístas, a seita Falun Gong alega ser uma Lei Budista, mas não é propriamente budista. Segundo afirma, está mais estreitamente vinculada à antiga prática chinesa qigong (uma forma do taoísmo voltada à disciplina pessoal: moralidade, meditação e exercícios de respiração) para obter energia espiritual e/ou força vital.

De acordo com Li Hongzhi, os benefícios da Falun Gong são variados. Entre eles, inverter o processo de envelhecimento e receber a cura de enfermidades crônicas e capacidades supranormais, como, por exemplo, ver através da matéria com um terceiro olho.

II - O líder do movimento

Li Hongzhi nasceu em 1951, em Chang-chun, na província de Jilin, nordeste da China. Consta que ele estudou 'qigong' desde os quatro anos de idade, nas montanhas da China, sendo aluno dos mestres da antiga tradição chinesa até desenvolver seu próprio tipo de qigong. Li disse que foi escolhido por seus mentores para receber os princípios daquilo que veio a ser a ideologia da Falun Gong. Atualmente reside em Manhattan e vive dos direitos autorais de seus livros.

Por suas alegações, seus ensinos e modos de agir têm relevância incomparável. Ele diz, ainda, que sua autoridade espiritual é superior à de Maomé, Buda e Jesus que, segundo Li, também era um Buda. Li diz também que um ser supremo o comissionou para vir à terra e salvar a humanidade da corrupção moral e dos males tecnológicos da ciência. Aproveitando-se de um renovado interesse pelo qigong durante este último quarto de século, especialmente entre os universitários e os desempregados, Li lançou o Falun Gong, que rapidamente cresceu para se tornar num movimento de grande porte.

Os seguidores de Li consideram seus escritos sagrados, sobretudo seu texto principal, o Zhuan Falun (Girando a Roda da Lei), publicado em 1994. É uma compilação dos ensinos de Li para orientar o cultivo dos indivíduos na verdade do cosmos. Uma propaganda da prática Falun Dafa alega: O praticante genuíno receberá ganho natural sem por ele ansiar. Toda a energia para ser cultivada, e toda a Lei, estão no Livro, e a pessoa as obterá de modo natural ao ler toda a Grande Lei... Não importa quantos livros de escrituras forem publicados, todos servem de material para ajudar no Zhuan Falun. É somente Zhuan Falun que está orientando de modo geral esse cultivo.

Posto que os ensinos de Li supostamente levam à melhoria da saúde e ao rejuvenescimento, os remédios são apenas para aqueles que não crêem de modo apropriado. O atendimento médico é proibido entre os seguidores de Li, que alega na "cara dura" que eles podem ter a saúde restaurada mediante a leitura de seus livros. A prática do Falun Gong, segundo alegam seus adeptos, possui poder de alisar as rugas, devolver a cor original aos cabelos brancos, restaurar os ciclos menstruais às mulheres depois da menopausa e curar a tuberculose. Suas doenças serão eliminadas diretamente por mim, escreve Li.

Li afirma que possui o poder de implantar nos seus seguidores o falun, ou roda da lei. À medida que seguem seus exercícios e se submergem em seus ensinos e meditam neles, conseguem fazer uma ligação direta com o poder da força vital, purificar seu espírito do carma maligno que tanto prevalece no mundo e desencadear seu potencial para um novo tipo de energia. Li, num tom autoritário e exclusivista, declara de si mesmo: No que diz respeito ao seu cultivo, você precisa de um mestre que o proteja e se importe com você.

O fundador da Falun Gong entende que o mundo moderno, com sua decadência moral - lado a lado com os males da ciência - está caminhando para a desgraça total, exceto aqueles que confiam nas doutrinas dessa seita para a salvação. Referindo-se à destruição vindoura, escreve: O universo em que agora vivemos é uma entidade reconstruída depois de nove explosões catastróficas. O planeta onde habitamos já passou muitas vezes por destruição. Li alega ter sido enviado para salvar a humanidade da sua triste situação. Somente ele conhece a verdade do cosmos e o que o futuro nos reserva. Somente por meio da iluminação recebida por ele é que poderemos escapar da calamidade: O futuro parece sombrio, a não ser para aqueles que se purificam com o Falun Gong e se esforçam para alcançar um plano superior.

Segundo a opinião de Li, as raças não devem ser misturadas entre si. Crianças de raça mista, nota ele, são sintoma do declínio da sociedade. Cada raça tem sua própria biosfera específica, e sempre que nascem crianças de um relacionamento entre raças diferentes elas são pessoas defeituosas. E argumenta, ainda, que o próprio céu está segregado: Qualquer pessoa que não pertencer à sua respectiva raça não receberá cuidados. Não sou apenas eu quem diz isso. É a pura verdade. Estou revelando a vocês o segredo do céu.

III - As práticas de Li

A filosofia e doutrina de Li, e suas instruções para os exercícios, são gravadas e acompanhadas com música de fundo. E contêm referências, repetidas muitas vezes, a deidades budistas obscuras, e também um ritual prolongado, no qual os alunos movimentam uma "roda da lei" pelo seu corpo inteiro. O propósito... é conseguir que essa roda, com seus supostos poderes terapêuticos, passe a habitar no abdome da pessoa.

Abrir todos os canais de energia no corpo; Conseguir a sabedoria e a aumentar o seu nível de energia; Misturar e trocar entre si as energias tanto do cosmos quanto do corpo humano, a fim de purificar-se rapidamente; Circular energia, sem atritos, pelo corpo inteiro; Conseguir uma mente lúcida e pura, a fim de fortalecer os poderes sobrenaturais e aumentar a potência da energia.

A pessoa, ao se convencer da eficácia da Falun Gong no primeiro nível, se dispõe a passar para o nível seguinte e buscar as doutrinas que há por trás dos exercícios. Então, ela precisa dar o que parece ser um grande salto de fé. Visto que os devotos verdadeiros dessa seita não podem, em nenhuma hipótese, procurar tratamento médico, mesmo quando muito doentes, sua única linha vital de sobrevivência é a fé que mantêm em Li. Infelizmente, para alguns, isso não foi suficiente. Os seguidores são proibidos de consultar os médicos em casos de doença, diz uma reportagem na Inside China (Dentro da China), citando um pesquisador da Academia Chinesa de Ciências: Como resultado, alguns já morreram, ao passo que outros enlouqueceram com a prática de qigong.

A maioria dos seguidores da Falun Gong desconsidera semelhantes relatos, dizendo serem falsos ou exagerados. Existem, na realidade, dezenas de milhares de pessoas que concordariam com um dos líderes do movimento quando disse: Essa é a prática mais real que já descobri. É o que andava procurando durante a minha vida inteira.

IV - Por que essa seita incomoda tanto o governo comunista chinês?

De acordo com a opinião do governo chinês, vários fatores fazem da Falun Gong uma ameaça real:
1. O número de chineses que praticam os ensinos de Li Hongzhi possivelmente seja maior do que a afiliação total do Partido Comunista Chinês;

2. Alguns dos adeptos da Falun Gong são comunistas portadores de carteira, até mesmo generais dentro do exército chinês;

3. Os membros arrolados na Falun Gong incluem também milhares de pessoas no Ocidente, e Li reside com sua família em Manhattan (o governo chinês considera suspeitos semelhantes contatos fora da China);

4. Os ensinos espirituais de Li são certamente incompatíveis com a doutrina atéia do comunismo chinês;

5. As demonstrações em massa, cada vez mais numerosas, realizadas pelos líderes da Falun Gong têm subvertido a ordem social e forçado confrontações com o governo;

6. O fato de a Falun Gong brotar da esperança do melhoramento pessoal e da felicidade do crescente número de seus adeptos, que saem do partido comunista chinês, demonstra que o comunismo foi um fracasso;

7. A ascensão da Falun Gong relembra os movimentos espirituais do passado, que pareciam inócuos, mas que, de repente, cresceram e se transformaram em forças políticas poderosas que acabaram derrubando as dinastias existentes. Sabemos da tradicional intolerância do governo comunista chinês, porém, alguma coisa está terrivelmente errada na doutrina de Li. Infelizmente, inúmeras pessoas têm flertado com várias disciplinas espirituais de diferentes tradições religiosas e, não demora muito, se cansam de uma delas e passam adiante para algo novo, mas sempre mantendo a crença de que todas as religiões ensinam, basicamente, as mesmas verdades.

Para um número sempre crescente de pessoas, a Falun Gong é a moda passageira espiritual da atualidade. Tais pessoas estão conscientes de que Li insiste no fato de que somente a obediência fiel aos seus ensinamentos trará a verdadeira iluminação e salvação a quem procura a verdade ulterior. Li enfatiza o caráter distintivo da sua doutrina quando declara: Falun Dafa é totalmente um dos modos tradicionais da cultivação [religião] na teoria, e da teoria de alquimia interna em vários sistemas e escolas. Os praticantes da seita Falun Dafa são obrigados a obedecer à primeira regra de Li Hongzhi: Ninguém pode propagar outras religiões em nome da prática do Falun Dafa.

Para os ecléticos que seguem elementos selecionados de várias tradições religiosas, os ensinos dogmáticos de Li devem ser desconcertantes. Mesmo assim, a publicidade da Falun Gong não é realmente diferente das bandeiras agitadas em público ao longo do desfile dos movimentos religiosos que têm aparecido em nossa sociedade nos últimos anos prometendo boa saúde e enriquecimento mental. Todavia, as promessas dessas religiões servem apenas para mascarar sua asseveração esotérica de que elas são o único caminho para a verdade ulterior. Isso fica mais aparente na religião de Li Hongzhi. Embora os adeptos da Falun Gong digam às pessoas que as doutrinas de seu fundador são exatamente o que o médico receitou, na realidade a receita de Li consiste de pílulas amargas que a maioria das pessoas tem de engolir.

V - Aversão à medicina moderna e falta de amor

A última das treze exigências básicas e assuntos de atenção para a prática da Falun Gong contém algumas palavras sinistras da parte de Li: Se algumas cenas aterrorizadoras interferirem com você, ou se você se sentir ameaçado, é só dizer, de si para si: estou protegido por meu mestre. Não tenho medo de nada. Você pode entoar o nome do mestre Li, e continuar com a sua prática. Embora a intenção dessa declaração seja garantir aos praticantes da Falun Gong que eles receberão a proteção do mestre Li enquanto praticarem os exercícios por ele receitados, ela revela duas realidades a respeito de Li e de sua disciplina espiritual. Primeiro: o contato com os espíritos é uma possibilidade quando alguém pratica tais exercícios. Em segundo lugar, do ponto de vista cristão fica claro que o próprio Li tem alguma conexão com o âmbito das trevas. Se as pessoas em geral devem ficar aflitas com os ensinos de Li, os cristãos, por sua vez, devem ficar ainda mais atentos com a natureza ocultista relacionada a esses exercícios (1Tm 4.1-2).

Conforme vimos, muitos críticos da Falun Gong ressaltam a aversão que Li tem à medicina moderna, aversão esta que, segundo declaram, tem levado à morte ou à loucura muitos adeptos dessa seita. Os cristãos devem se preocupar não somente com essa crença alarmante, mas também com a doutrina de Li a respeito do poder sobrenatural que supostamente dissipa todas as enfermidades físicas. A pessoa recebe esse poder quando Li abre o Olho Celestial do praticante, ou seja: o canal principal... localizado entre o ponto de encontro das sobrancelhas e o corpo pineal.

Usualmente, vemos com nossos olhos físicos. São esses mesmos dois olhos que servem como anteparo e bloqueiam a nossa passagem para outros espaços e, com isso, conseguimos ver apenas o que existe no nosso mundo físico. Abrir o 'Olho Celestial' nos capacita ver sem empregarmos os dois olhos. Depois de alcançarmos um nível muito alto de cultivação, obtemos um 'Olho Verdadeiro'... eu lhe abrirei os seus 'Olhos Celestiais' diretamente para a dimensão da 'Visão do Olho da Sabedoria'. Realmente, estou aqui para abrir o 'Olho Celestial' em grande escala.

Aqueles que estão familiarizados com o ocultismo da Nova Era notarão a semelhança entre o 'Olho Celestial' e o 'Terceiro Olho'. Os dois movimentos prometem aos fiéis genuínos que eles receberão conhecimentos esotéricos e poderes ocultos. O apóstolo Paulo, no entanto, afirma que somente Cristo fornece poder e sabedoria verdadeira: Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus (1Co 1.24). Diz Li: Eu, de modo especial, transmito o 'Grande Caminho da Cultivação Budista', para o qual fui despertado durante eras inumeráveis do passado. A respeito dos falsos mestres nos seus dias, declarou Paulo: Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados (2 Tm 3.13).


Enquanto Li Hongzhi desdenha o nosso mundo, considerando-o lixo do universo, onde toda a corrupção é depositada, Jesus Cristo, em sua compaixão, foi compelido a abraçar os sofrimentos deste mundo caído. E não só isso. O Filho de Deus morreu miseravelmente numa cruz para nos reconciliar com o Criador. Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus (1Pe 3.18). Deus amou as pessoas que habitam na lixeira do universo, e por elas morreu: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3.16).

VI - É o tipo de amor que, indiscutivelmente, está ausente nos ensinos de Li Hongzhi.

1. Stephen Hutchson: The Man China Fears Most, Sydney Morning Herald, 7 de maio de 1999.
2. Ibid.
3. O Poder da 'Força´, Newsweek: Edição Internacional, 10 de maio de 1999.
4. Seita Chinesa Atrai Muitos Seguidores, USA Today, 26 de abril de 1999.
5. Kai Strittmatter: Como o Mestre Li Canaliza a Energia Cósmica,German Scientology News (tradução), 27 de abril de 1999 .

6. Comece a Aprender Falun Dafa, Website de Falun Dafa
7. Faison.
8. Andreas Landwehr: Serviço de Informações da China Surpreendido por Protesto Grosseiro de Seita, 26 de abril de 1999.
9. Don Lattin: Reavivamento Espiritual: Falun Gong Cresce em Popularidade nos EUA e na China, San Francisco Chronicle, 10 de maio de 1999, sec. A.
10. German Scientology News, reportagem sobre O Grande Caminho da Perfeição de Li, citada em Strittmatter.

11. Ibid.
12. Elisabeth Rosenthal: Enquanto o Movimento Místico se Reúne, o Governo da China se Preocupa, The New York Times, 29 de junho de 1999.
13. Lattin.
14. Autoridades Advertem Seita para não ser Ameaça à 'Estabilidade Social,' Inside China, 29 de abril de 1999.
15. Lattin.

16. Li Honzhi: Características Distintivas do Sistema de Prática, Grande Caminho da Perfeição da Lei de Buda Falun, 1997.
17. Ibid., Apêndice IV.
18. Li Hongzhi, China Falun Gong, ed. rev. (1998, versão em inglês).
19. Li Hongzhi: Olho Celestial, China Falun Gong.
20. Li Hongzhi: Características Distintivas do Sistema de Prática.

C.A.C.P.