16 - PROBLEMAS SEXUAIS

16 - Problemas Sexuais Reencarnatórios

16.1 - Introdução

O organismo humano demonstra, pelo seu equilíbrio (saúde) ou elo seu desequilíbrio (doenças, deficiências, anormalidades etc), histórico completo do Espírito que dele se serve.

Nos parâmetros da Reencarnação, todas as disfunções, particularmente as sexuais - físicas ou psíquicas -, encontrarão verdadeiro "raio-x", explicando-as sobejamente.

Da análise sincera de nossas tendências, resultará descrição segura do que fomos, do que fizemos e do quanto estamos afastados das Leis Naturais.

Olhando introspectivamente nosso contexto sexual, encontramos grande parte do nosso passado, numa visão mental fiel elucidativa, qual farol, a indicar-nos os perigos, bem como nos contando qual o roteiro seguro.

Estamos falando do Evangelho!

Deus, o Supremo Arquiteto do Universo, não criou Seus filhos para a dor, senão para a Evolução, na rota do Amor.

Infelizmente, porém, desvios de rota acontecem. Sejamos sinceros: somos falíveis.

Mas não irrecuperáveis.

Diz-nos o Espiritismo, quando navegamos rumo ao progresso espiritual:

- Deus é o mar

- Jesus, o farol

- O Evangelho, a bússola

- Nosso corpo, a embarcação

- Nosso Espírito, o capitão.

- A tripulação: nossos familiares, amigos, inimigos, vizinhos, colegas, companheiros

- Cada viagem e cada porto: uma vida!

- A âncora: parada para reflexão, refazimento, reabastecimento, aprendizado ... (e renascer).

Leitor amigo:

- Levantar âncoras, que "navegar é preciso"!

16.2 - Problemas Congênitos

Hermafroditismo

(formação de nomes de deuses gregos: Hermes, filho de Zeu + Afrodite, deusa do amor, referindo-se a "Hermafrodito", filho deles).

É uma anomalia congênita excepcionalmente rara. Ocorrem apenas dois casos específicos de intersexualidade:

- quando os órgãos genitais externos são de definição incerta e na cavidade abdominal coexistem glândulas sexuais típicas ambos os sexos (testículos e ovários):

- quando há oposição entre glândulas sexuais e órgãos sexuais externos.

Quanto ao aspecto exterior, o hermafrodita tanto pode aparência feminina como masculina.

Chama-se pseudo-hermafroditismo o caso em que há testículos ou ovários no indivíduo, porém, os caracteres secundários são inversos:

- "ginecomastia" = desenvolvimento excessivo de mamas, no homem

- "hirsutismo" = desenvolvimento excessivo de pêlos, na mulher.

Assexualismo

Cientificamente, é considerado como sendo ausência de interesse pelo ato sexual.

Não pode e nem deve ser confundido com:

- controle sexual equilibrado, próprio de Espíritos evoluídos, missionários;

- celibatarismo e castidade = vertentes sexuais de abstinência forçada.

No assexualismo, quase sempre, a ausência do interesse sexual se dá em razão de seqüelas psíquicas, o que não será abordado aqui.

Muitas vezes, o indivíduo que tenha abusado do sexo em vidas passadas, passa por uma ou mais jornadas reencarnatórias represando o impulso sexual, buscando, assim, ressarcimento.

Ocorre que esse represamento gera angústias, não raro conflitos de insociabilidade: o indivíduo passa a ser visto como "impassível", "frio", "gelado", etc.

Esse comportamento, lançando raízes profundas no perispírito, poderá resultar em situação futura de assexualismo.

Mas isso será temporário, episódico: no caminhar, entre anseios, angústias, sonhos e experiências, a vida sempre repõe as coisas e o equilíbrio nos seus devidos lugares.

16.3 - Problemas Patológicos

Na mulher:

- amenorréia = ausência de menstruação;

- distopias do útero = fuga da situação normal, causando númeras perturbações, geralmente dolorosas;

- inflamações genitais = tumores benignos ou malignos, interna ou externamente, causando dor, pruridos;

- abortamento = dor abdominal em forma de cólica, com eliminação do embrião, interrompendo gravidez, antes de decorridas 22 semanas de sua evolução;

- esterilidade = incapacidade de procriação, oriunda de:

1. dispaurenia (do Grego, em tradução livre: "má união") é quando o ato sexual causa dor;

2. falta de ovulação = anormalidades endócrinas por parte da hipófise, da tireóide, das supra-renais ou dos próprios ovários;

3. tumores ovarianos =secretam hormônios em grande quantidade, impedindo a ovulação;

4. ausência completa de ovários( ocorrência rara);

5. anormalidades uterinas = mesmo em presença de ovulação normal, há desequilíbrios hormonais; seqüelas de curetagem mal realizadas (abortos criminosos, em geral), "curativos anticoncepcionais", etc.

No homem:

- varicocele ("bolsa de varizes") = é a dilatação varicosa de um conjunto de veias, localizadas no cordão espermático;

- gonorréia (blenorragia) = doença venérea contagiosa, adquirida em ato sexual, geralmente junto a prostitutas; na mulher se contraída na gravidez, poderá provocar cegueira à criança, ocasião do parto;

- sífilis = doença venérea geralmente transmitida durante reações sexuais promíscuas; manifesta-se, na fase primária, pelo aparecimento de um cancro onde os germes penetraram no organismo, geralmente nos órgãos sexuais; na fase secundária, torna-se extremamente contagiosa (7 a 10 semanas após contraída a doença), podendo ser afetados o sistema nervoso central e os olhos; na terceira fase, às vezes vários anos após contraída, a doença pode atingir o coração e o cérebro, progressivamente, causando paralisia geral e cegueira; se transmitida à criança, durante a gestação, ela pode nascer morta, cega, surda ou portadora de outra incapacidade.

Tanto quanto atualmente a AIDS, igualmente a sífilis, há algumas décadas, constituiu-se numa doença generalizada, dificilmente curável. Nos anos -40-, com o aparecimento da penicilina, recuou e passou a ser curada, completamente, quando tratada na fase inicial. Houve um recrudescimento nos anos -70-, em razão da chamada "revolução sexual"', que propunha mais liberalidade sexual para todas as faixas de idade - o que, infelizmente, foi aceito por uma corrente da população mundial.

Quanto à A.IDS, talvez possamos contar com sua cura, a breve tempo, sendo historicamente certo que a Humanidade, ao livrar-se de uma doença, logo logo "arranja" outro .

- fibrose = rigidez que atinge tecidos, podendo formar edemas (inchaços) ou mesmo calos; quando instalada no aparelho genésico, podem surgir anomalias tais como:

1. atrofia dos tubos seminíferos dos testículos,pela degenerescência glandular;

2. "doença de Peyronée" = geralmente decorrente de algum trauma ou acidente (golpe repentino), causando endurecimento dos corpos cavernosos do órgão masculino; provoca arqueamento para cima ou para baixo, mais angulação crescente para a esquerda ou para a direita da linha central desse órgão, impossibilitando o ato sexual, por dispaurenia;

3. priapismo = estado patológico de constante ereção, freqüentemente dolorosa; por ser involuntária, tal ação causa sofrimento, às vezes exigindo cirurgia para desobstrução dos canais sangüíneos bloqueados ou para vazão do sangue acumulado;

4. esterilidade = incapacidade de ter filhos; até o princípio do século XX a mulher era geralmente considerada a única culpada pela falta de filhos ao casal. Atualmente, sabe-se que, estatisticamente, nos casais estéreis, o homem é responsável em cerca de 35% dos casos, a mulher em 45& e nas outras vezes, ambos os cônjuges são os responsáveis.

Agentes causadores:

1. intoxicação (por álcool, morfina, chumbo, arsenico, outros tóxicos );

2. sífilis.

A esterilidade masculina apresenta os seguintes quadros:

1. oligospermia (do Grego: oligos = pouco)

- ocorre quando se encontram menos de 60 milhões de espermatozóides em cada cm3 de esperma (o normal é 150 milhões/cm3);

2. astenospermia (do Grego: astenos = fraqueza)

- ocorre quando, duas horas após a emissão, menos de 20% dos espermatozóides apresentam boa motilidade (propriedade de locomoção);

3. azoospermia (do Grego: a = negação e zoon = animal)

- ocorre quando há ausência de espermatozóides no esperma.

16.4 - Problemas Psíquicos

- Frigidez (no comportamento feminino) = também denominada "anorgasmia", que é a incapacidade física de alcançar o êxtase sexual.

É uma disfunção sexual feminina freqüente, na qual a ausência de orgasmo, por desconhecimento ou por outras causas, bloqueios, frustrações, ansiedades, experiências infelizes, rejeição, etc.

No dia-a-dia causa desconforto no relacionamento sexual: o marido desinteressa-se pela mulher e quase sempre, embora amando-a, busca outra parceira.

Embora aparentemente inocentes, ambos sofrem.

O convívio torna-se oneroso, quase insuportável. Amiúde, nesses casos, ocorre separação conjugal. Uma das causas presumíveis do ponto de vista cármico, (Lei de Causa e Efeito), sugere comportamento sexual infeliz em vida passada(s); dissolução, desregramento, irresponsabilidade há possibilidade de que em algumas das mulheres frígidas, esses componentes psíquicos sejam aqueles que, quase sempre no passado, desaguaram no aborto criminoso. Chegado o arrependimento, ainda naquela existência, ou após, já desencarnadas, surgem votos de auto-punição: abstinência sexual. Aí, os desejos assim refreados, energicamente, conduzem ao desequilíbrio da libido, resultando, em vida(s) futura (s), provavelmente, dentre outras anormalidades, a frigidez.

Por outro lado, talvez também não seja demais supor que o parceiro de hoje de uma mulher com essa disfunção, é aquele mesmo companheiro do passado ...

- impotência (no comportamento masculino) = de causas físicas e psicológicas, é a incapacidade para realizar o ato sexual.

Essa disfunção responde pela grande maioria dos problemas sexuais masculinos.

É profunda geradora de depressões.

Sua origem, assim como na frigidez, deve ser buscada no passado, quando virilidade, ao invés de meio, tornou-se fim.

- erotismo exacerbado = excessivo desejo sexual, no homem ou na mulher.

Essa anormalidade é rara, Patologicamente, denomina-se:

- satirismo = no homem

- ninfomania = na mulher.

Como se observa, essa disfunção é oposta á frigidez e à impotência.

Trata-se de uma compulsão, tal qual o é a fome.

Decorre, geralmente, de insegurança, constituindo-se de um meio de libertar a ansiedade.

A satiríase é a busca insaciável do sexo, sendo fácil imaginar quão dolorosa é essa situação, geradora de situações delicadas, quão perigosas.

Embora rotineiramente sejam vividas situações similares, não se aplica esse termo às pessoas promíscuas, de elevado nível sexual.

O satirismo é um desequilíbrio espiritual, provavelmente em razão de abstinência sexual, prolongada e forçada, em vidas passadas.

Tais Espíritos, trazendo em seu bojo todo o energético sexual e a Natureza dispensa ao ser humano, e que permanentemente o acompanha, sucumbem em vida posterior ao chamamento e aos clamores da sexualidade.

O sexo represado, ao pressionar a criatura invigilante, libera seu potencial, qual açude que rompe as comportas, trazendo estragos na esteira das águas subitamente libertas.

Tal invigilância é habilmente manipulada por Espíritos obsessores, que comprimem setores específicos do aparelho genésico alguém, fazendo-o desejar outrem. Geralmente, há poderosa transmissão de clichês mentais, onde o obsidiado se vê fartando sexualidade junto ao ser objeto de tão irresistível atração. Conseguido o intento, imediatamente há transferência de alvo, mas permanência do processo indutor.

Isso só acontece em razão da sintonia - obsessor/obsidiado na qual ambos têm os mesmos pensamentos. Os mesmos projetos, as mesmas ânsias.

Reencarnação sobreposta o reencarnação, o ser encontrará o ponto de equilíbrio sexual, passando a viver em paz, evoluindo sempre.

Deve ser mantido longe do triste panorama do satirismo, os casos em que as criaturas sentem atração irresistível, um pelo outro, paralélamente com a presença de sentimentos de união, participação e de amor .

Nesses casos, se um, ou os dois, são casados, há possibilidade disso se tratar de reencontro de amantes de vidas anteriores, ora em provação,. em que a moral deve falar alto, desfazendo este painel.

Porém, se nem os costumes, nem a moral, nem a consciência, impedem sua união (ambos são livres), que ela se concretize na santidade do matrimônio.

16.5 - Dor/Alerta

Pessoa alguma tem o direito de julgar o semelhante.

Todos erramos, ontem ou hoje, todos desviamos nossa vida do reto proceder, aqui ou ali, todos cometemos erros de julgamento e de ações.

Tal é nossa caminhada.

A Dor, longe de ser punição, constitui-se em instrumento educativo, generoso, eis que em sua presença cessam os preconceitos e não progride a iniqüidade. Deus, Suprema Bondade, não pune nem dá prêmios a ninguém.

Nossa consciência, desde o princípio perfumada com o Sopro Divino, é juiz infalível do nosso comportamento, a partir da nossa criação, quando recebemos o incomparável dote do livre-arbítrio.

Nos incontáveis planos de Vida da Natureza, na profusão incalculável de mundos e sistemas estelares, habitam irmãos nossos, em diferentes graus de evolução.

Os mais adiantados jamais deixam de nos dar as mãos.

Sua augusta presença no planeta Terra, em missão de aconselhamento e orientação, reportando as coisas dos Mundos Felizes - nosso destino -, tem registro incontestável em todas as épocas.

Cada povo, cada sociedade, cada tempo, teve seu Mensageiro Divino.

Pontificando em Jesus, o "Ungido", vamos encontrar a universalidade do Bem, o expoente máximo da Verdade, do Caminho e da Vida !

A Humanidade dificilmente poderá ajuizar, in totum, o conteúdo da missão do nosso governador planetário, o Amigo Jesus.

Sua mensagem, e muito principalmente Seus exemplos, vencem os séculos, palmilham os milênios, já agora na aurora do terceiro, e ainda estamos aprendendo.

Reverberam em nossas almas Suas palavras, ditas sobre pedras ou à beira-mar, há quase dois mil anos:

"Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados" (Mateus, 5.4)

"Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam, mas juntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam nem roubam, porque onde está teu tesouro, aí estará também o teu coração". (Mateus, 6.19,20,21)

"Não julgueis, para que não sejais julgados". (Mateus, 7.1)

"Que aproveita ao homem, ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?". (Marcos, 8.36).

Com Jesus aprendemos as coisas de Deus e do Céu - do nosso céu interior.

Com Kardec, Codificador da Doutrina Espírita, aprendemos como melhor ouvir ao Mestre, para melhor poder segui-Lo.

Depreendemos que nossas dores, nossos conflitos, constituem um benéfico alerta, para retificação de rumo.

Aprendemos que ninguém sofre por aquilo que não deve. Mas, sobretudo, sentimos que o Pai não desampara nenhum dos Seus filhos, principalmente nas horas de dificuldades.

A oração de uma alma aflita sempre chega aos Planos Superiores da Vida, seja sua origem em que quadrante for do Universo em medida de tempo muito menor do que o segundo. Inquestionavelmente é ouvida e invariavelmente atendida. Essa é uma certeza universal e eterna, porque quem a proclamou foi Ele - Jesus!

Eurípedes Kuhl