A CURA DA ORELHA DE MALCO

"Um deles deu um golpe no servo do sumo sacerdote e decepou-lhe a orelha direita. Então Jesus disse: Deixa-os, basta, e tendo-lhe tocado a orelha, o sarou". (Lucas, XXII, 51-52)

É vezo dos médicos e dos que lêem pela mesma cartilha afirmarem que a fluidoterapia ou a psicoterapia só produz efeitos nas moléstias de fundo nervoso. "Só os neuropatas, as histéricas, os doentes de neurose ou de pseudo-moléstias é que saram com esse tratamento".

Esta afirmação é por demais gratuita, não tem absolutamente visos de verdade e não se baseia em fatos.

Nos Evangelhos encontramos muitos enfermos curados por Jesus, e cujas enfermidades nada tinham com o sistema nervoso. Os hidrópicos, os leprosos, os herpéticos etc., que foram curados, foram-no de enfermidade cuja origem parece não estava nos nervos, nem é admissível que assim se pense.

A Medicina Materialista, em face dessas portentosas curas, só tem duas atitudes a assumir: ou admitir o fato, porque contra fatos não prevalecem argumentos, e procurar estudar esses fatos para lhes descobrir as causas; ou, então, negá-los sistematicamente, saltando por cima da verdade.

A reconstituição da "orelha de Malco" nada tem de milagrosa. É um fato perfeitamente aceitável, como a reconstituição de um braço quebrado, de uma perna partida, de um corte em qualquer parte do corpo, que se refaz.

O lado moral da narrativa, sim; este tem extraordinário valor, porque caracteriza a bondade, a indulgência, o espírito de caridade de todos os atos, toda a vida de Jesus: "tendo-lhe tocado a orelha o sarou".

Este caso é mais um testemunho do poder de Jesus Cristo, cuja sabedoria "não é teórica", platônica, mas se manifestou positiva, categoricamente: cicatriz imediata, com reconstituição de células, como se dá em todos os casos de ferimentos, unicamente com a diferença do tempo ou do espaço de tempo para essa reconstituição, que foi, como dissemos, quase imediata.

Nos anais religiosos encontram-se casos, mais ou menos análogos a este, e inúmeros médicos católicos, referindo-se às curas de Lourdes, fazem menção desses fenômenos, realmente dignos de observação e estudo.

O Espiritismo explica muito bem esses fatos, mal recebidos pela ciência Materialista, que julga haver cristalizado toda a sabedoria. Mas estamos em tempos de acontecimentos que maravilharão o mundo, e a Verdade triunfará de todos os obstáculos e pressões.

A Luz não permanecerá sob o alqueire.

Cairbar Schutel